Foto: Jonathan Cordova ®2013. Todos os direitos reservados.

Dicas para curtir a montanha

Foto: Jonathan Cordova ®2013. Todos os direitos reservados.

Texto: Mario Duarte, Jonathan Cordova e Pedro Cal / Fotos: Jonathan Cordova. Em especial agradecimentos ao pessoal que contribuiu para essa matéria: Bruno Baylongue, Alyne Macedo, Isis Schmitt, Suzana Schmitt, Fe Schmitt, Talissa Leal, Yan Moreira Alves e Pedro Cal.

O inverno está acontecendo agora mesmo, muito esqui e snowboard todos os dias e você sem saber direito o que fazer e como fazer? Vale mais a pena alugar ou comprar roupas e equipamentos? Enfim, todas as dicas para tirar de letra o melhor do inverno, seja por 1 dia, 1 mês ou para quem vai ficar por um bom tempo em Vancouver.

1. As roupas da cidade não servem para a montanha

Como chove bastante em Vancouver, faz parte do guarda roupa essencial das pessoas ter um par de botas e jaqueta para chuva que pelo menos sejam resistentes à água. Mas quando começamos a falar das montanhas a coisa é bem mais séria.

Enquanto na cidade a temperatura média do inverno varia entre 3º C com com chuva e -3º com sol, nas montanhas o frio é maior e dependendo do dia você precisa proteger até o rosto, ainda mais se estiver praticando esportes.

textos-01

Não importa qual a diversão, o importante é estar protegido. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Não importa qual a diversão, o importante é estar protegido. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

2. Pesquisar antes de comprar vale a pena

Comece seu guarda roupa de inverno pelas botas. Com um nível de preço intermediário – custam cerca de 60 dólares durante o Boxing Day e cerca de 150 dólares fora de promoção – as botas valem a compra porque você provavelmente vai usá-las novamente quando nevar na cidade. Como esses itens duram a vida toda, aproveite as épocas de promoção e pesquise nas muitas opções de lojas de aventura espalhadas pela cidade.

Quem nunca quis fazer isso na neve? Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Quem nunca quis fazer isso na neve? Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Dois itens importantes e nossa segunda escolha de compra são as calças e as luvas. Com preço médio de 80 dólares cada são uma ótima opção de compra. Um item adicional nesse caso são as calças térmicas de corrida para se usar debaixo das calças de neve. Dependendo da pessoa e das condições da montanha, você vai querer ter um segundo nível de roupa na pele.

textos-03
O item mais caro de todos é a jaqueta. Com muitas opções para escolher e marcas para comprar, os preços variam de 150 a 400 dólares em média. Um detalhe importante é saber diferenciar as jaquetas à prova d’água feitas para uso urbano das jaquetas de montanha, que são mais compridas, indo além da cintura.

Para os acessórios, vai depender um pouco do estilo e da prática de esporte que você vai fazer. Os óculos são importantes, mas podem ser alugados se você não planeja praticar esqui ou snowboard constantemente. O uso de capacete é mais indicado para aqueles que usam as pistas mais avançadas, enquanto os iniciantes podem usar uma touca só  para proteger do frio.

Saída dos gates de snowboard no topo da montanha. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Saída dos gates de snowboard no topo da montanha. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

3. Esqui ou snowboard?

Uma tendência parece acontecer nas montanhas de Vancouver. A grande maioria de Brasileiros prefere o snowboard ao esqui. Como o skate e o surfe são muito populares no Brasil e ambos possuem a mesma dinâmica que o snowboard, a adaptação é mais fácil. O esqui, por sua vez, é um esporte mais técnico e que depende de muito mais tempo de pratica até você começar a se sentir confortável.

Snowboard, o preferido dos Brasileiros e Vancouver. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Snowboard, o preferido dos Brasileiros em Vancouver. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Quanto custa essa brincadeira toda? Os preços de um set de esqui completo e uma prancha de snowboard muitas vezes se equivalem. Vai da sua escolha comprar um equipamento novo, usado ou até uma combinação dos dois. No caso do snowboard, por exemplo, você pode comprar a prancha usada e os bidings – equipamento que prende a prancha às botas – novos, economizando assim algum dinheiro. Depois que gastar a prancha pode colocar seus bidings agora usados em uma prancha nova, e assim por diante.

Em websites como Craigslist e Kijiji você pode achar uma infinidade de equipamentos usados por preços bem mais baratos, cerca de 200 dólares, mas o que podemos afirmar é que um set novo de qualquer um dos dois esportes pode custar cerca de 600 dólares.

4. Subindo a montanha

Cada montanha tem sua estrutura, regras e custos, mas no geral você irá gastar algum dinheiro com o transporte até lá, seja na gasolina do seu carro ou no ônibus. Algumas montanhas tem estacionamento grátis e acesso de carro até o topo, como a Cypress Mountain.

Vida de montanha é assim, desce de prancha, sobe de teleférico. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Vida de montanha é assim, desce de prancha, sobe de teleférico. Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Outras, como a Grouse Mountain, só permitem acesso até parte da subida, tendo assim que pagar 40 dólares para subir o resto de teleférico. Em Whistler os estacionamentos são pagos mas o acesso é mais fácil, por se tratar de uma cidade.

Outra boa pedida são os passes de montanha que são vendidos durante o ano todo e tem as mais variadas promoções de preços, descontos e uso. Para quem vai subir a montanha somente alguns dias, um passe diário com 20% de desconto para o próximo pode ser uma boa pedida. Para quem vai ficar mais tempo, comprar um passe anual antes da temporada começar é uma boa opção.

5. Hora do lanche

Pode parecer estranho, mas não se esqueça de levar água para a montanha! É simplesmente muito cansativo passar horas subindo e descendo as montanhas, e só existe água nos locais fechados. Nos restaurantes você vai encontrar áreas para descansar, ir ao banheiro e tomar um fôlego entre as sessões radicais.

Vai um cafezinho? Na hora de comer, corra para dentro! Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Vai um cafezinho? Na hora de comer, corra para dentro! Foto: Jonathan Cordova ® 2013. Todos os direitos reservados.

Na hora de comer cada um tem a sua preferência, e você pode escolher entre várias opções de preço e comida.
Para quem vai ficar hospedado nos hotéis de Whistler, vale a pena ficar atento, pois a cidade é uma das mais badaladas da américa do norte e os preços podem ser um pouco mais caros do que o encontrado nas praças de alimentação da cidade.

Leave a Comment